quinta-feira, 21 de abril de 2011

Fluzão ilógico


Na última quarta-feira, o Fluminense venceu o Argentinos Juniors por 4 a 2, no estádio Diego Armando Maradona, em Buenos Aires. Com esta vitória, o Flu garantiu vaga nas oitavas da Libertadores. Agora, o Tricolor encara o Libertad-PAR, na próxima quinta no Engenhão.

Ontem foi celebrado o dia do disco. Vamos selecionar as músicas. Mas o que isso tem a ver com Fluminense e Argentino Jrs.?

Emerson”Sheik”mandou tocar “Bonde do Mengão Sem Freio”. Mas foi cortado e afastado do elenco. Após esse problema, era de se esperar o Flu num tom apático. Mas ocorreu justamente o contrário.

O Tricolor das Laranjeiras deu ritmo e dinâmica. Com isso, acabou dominando e conseguindo as melhores oportunidades. Só havia ruptura, quando o setor defensivo era pressionado.

O árbitro dançou a clássica música da Conmebol. Muitos cartões, erros para ambos e mediocridade.

Nos timbres de Julio Cesar, Rafael Moura e Fred por duas vezes. O Fluzão construiu e consolidou a vantagem. O Argentinos Juniors tentou acompanhar com Salcedo e Oberman, mas acabou vitimado pelas próprias limitações. A Harmonia do Nense seguiu viva e ativa.

Seria injusto pensar em qualquer outro resultado, que não fosse a vitória do Flu. Os Bichos Vermelhos levaram 4 gols em 15 partidas, no Campeonato Argentino. O Fluzão conseguiu melodia superior, 6 gols somando os dois confrontos da Libertadores.

Apito final, o mais dócil dos sons, faz o impossível se consolidar, e a matemática lamentar.

A música popular é o grito da torcida Tricolor. Que não teve receio de comemorar e acalmar o peito.

Ridículo o quebra-pau no final, e lamentável o comportamento da polícia, que demorou a intervir.

O Fluminense não dançou tango, montou um disco revigorante, retornou as paradas, e coleciona mais um épico.

Imagem: Terra.com.br

0 comentários:

Postar um comentário