sexta-feira, 29 de abril de 2011

Delírio Tricolor


Após se classificar de maneira épica na semana passada. O Flu entrou num patamar inabalável, nem a eliminação na Taça Rio, deixou o torcedor chateado. Com o interesse fixo nas oitavas da Libertadores. O objetivo era vencer o Libertad-PAR por uma boa margem de gols.

A partida começou com mais de uma hora de atraso. Devido a uma queda de luz, que desligou os refletores, e deixou o Engenhão sem nexo. E como apagão rima com Fluzão. Aos 3 minutos, Rafael Moura “He-man” fez 1 a 0, e aumentou as forças no castelo de Grayskull. A potência não durou muito, porque o Tricolor abusava das bolas longas, e das jogadas individuais. Com isso, não conseguia se organizar no gramado.

O Libertad era apenas esforçado nas bolas paradas. Mas aproveitou, quando o Time de Guerreiros não voltou pra segunda etapa. Após um sufoco continuo, aos 15min, Bonet cruzou e Gamarra empatou. Falha do Goleiro Ricardo Berna. Que ficou entre o ir e voltar, mas acabou pretrificado no caminho. Surgiram as vaias, expressões pálidas, desespero, nervosismo e o nada. O Flu insistia no bico pra frente, porque à bola no pé queimava.

O que acontecia dentro refletia fora e vice-versa.

Mas o mistério foi resolvido com fundamento. Bastou trocar passes. Após tabelar com Fred e driblar dois marcadores, Marquinhos acertou um belo chute, colocando 2 a 1 no placar, aos 27min. Aliviando o peito ofegante. Darío Conca marcou de falta, aos 28min, e fechou os trabalhos.

Com o resultado de 3 a 1, o Fluminense fica próximo das quartas de final, mas sem apresentar um futebol convincente. A vitória tem o poder absoluto de mascarar. Por isso, só nos resta viver a fantasia e saborear o doce frenesi.


Imagem:Globo.com

0 comentários:

Postar um comentário