sexta-feira, 2 de julho de 2010

Capota, mas não breca

Muitas palavras podem expressar o sentimento do povo Brasileiro nesta derrota. Eu fico com tristeza, decepção, melancolia e eu já sabia. O time Brasileiro fez um primeiro tempo exemplar, tanto que logo abriu o placar. Tinha espaço para trabalhar a bola, não era pressionado e jogava como adora. Teve a oportunidade para ampliar o marcador e deixou a torcida animada.

Mas na segunda etapa a Holanda adiantou a marcação, e se colocou com mais ousadia em campo. Com isso, o Brasil deixou de amar a bola, e foi bico pro mato e lançamento para o ataque. Era para tirar velocidade do jogo, mas a seleção tupiniquim acelerava sem parar. Queria engatar a quarta, mas sem passar pela primeira, e por isso errava feio. Com esse comportamento a seleção pediu para perder, a Holanda foi lá e fez os seus.

Não vou apontar culpados e nem falar que faltou fulano, sicrano e beltrano. Penso que a seleção Brasileira não deu vexame, mas fazer o dever de casa não garante boa nota. Ficou provado que só o comprometimento não basta, pois a seleção caiu no mesmo lugar que afundou na copa passada. Para fechar faltou o Brasil ser Brasileiro. Assim como a arte e as curvas de um Oscar Niemayer, a cadência da bateria da Mangueira, as vozes de Ângela Maria e Cauby Peixoto, um losango feito por Cândido Portinari e a Magia de Ana Botafogo ao bailar.

UOL IMAGEM

0 comentários:

Postar um comentário