terça-feira, 29 de junho de 2010

Era uma vez

Hoje eu vou contar a história de Chile, um pingüim perspicaz, franzino e serelepe. Uma ave diferente, cabeça dura e insistente O pingüim treinava todo dia na lagoa, só para alcançar um objetivo. Segundo seu treinador Marcelo, a meta de Chile era ultrapassar um gigante. Durante os últimos três anos a ave cultivou esse sonho. Seu treinador Marcelo "EL LOCO" espantou o mundo quando revelou "Vamos atacar e ultrapassar o Brasil". O gigante Brasileiro detestava ser atravessado, e toda vez que alguém tentava era contra-ataque de baciada.

Na primeira tentativa o pingüim tentou atacar pelo raso, mas o Brasil revidou aumentando o fluxo de água. A ave quase morreu afogada, mas foi salva pela marinha. A assessoria de imprensa da marinha emitiu comunicado "Foi uma irresponsabilidade tentar atravessar essa bacia fluvial sem auxílio". Mas Chile se levantou e passou a treinar num lago doce. E voltou a desafiar o Brasil por duas vezes na Copa América. O pingüim teve hipotermia e foi derrotado nos dois cotejos. Desta vez ele foi resgatado pelo exército da Venezuela, porém ficou no hospital por um mês. E Hugo Chaves aconselhou a ave "Filho não se preste a ser um filhote do império".

Chile se recuperou, acertou, superou outros rios importantes e liderou. Vivendo seu melhor momento, chegou com moral para sobrepor a bacia hidrográfica tupiniquim, porém teve câimbras e tomou dois caixotes pela venta. Foi retirado do rio pelo Greenpeace. Depois teve calafrios, pesadelos, pensou em desistir. Entretanto a sua natureza de ir para cima não permitiu. Pela sexta vez a ave vai atacar o rio Brasileiro. O desafio será na copa do mundo. Antes do duelo o ancião Zamorando alertou "A Defesa deles é o ponto mais fraco". Chile seguiu o programado, atacou como nunca e perdeu como sempre, só que desta vez não foi salvo por ninguém.

0 comentários:

Postar um comentário