quinta-feira, 28 de julho de 2011

Flamengo x Santos, homérico!

O fracasso da seleção brasileira na Copa América ofereceu aos incrédulos mais um motivo para decretar a morte do futebol tupiniquim. Mas, se, realmente, existe um Deus no futebol brasileiro, ele estava na vila famosa, na noite desta quarta-feira. Logo, Santos e Flamengo tinham a missão de resgatar o prestígio do futebol brasileiro. Os poetas: Ganso, Neymar, Ronaldinho e Thiago Neves pediam inspiração às musas e oravam aos Deuses.

O Santos fez o primeiro, o segundo, e, logo, chegou ao terceiro. Tudo com extrema facilidade e categoria. Não demonstrava temor diante do único invicto do campeonato brasileiro. Neymar que o diga, num lance de rara beleza, iludiu quatro marcadores e empurrou para o fundo das redes. Todavia, o Flamengo ainda era Flamengo. Por isso, empatou o jogo antes do fim do primeiro tempo.

O Deus do futebol brasileiro nos brindou com um primeiro tempo espetacular, no entendo, a segunda metade prometia mais e mais. Em vista disso, o garoto moicano foi tratando de ganhar do zagueiro, em seguida, disparou no alto sem chance para o goleiro. Mas, logo, Ronaldinho respondeu no contrapé da barreira, e a gorduchinha morreu faceira no canto esquerdo.

Após a demonstração de potência e vitalidade. O Deus resolveu partir, por conseguinte, um clube ficou à mercê do outro. Se aproveitando disso, o rubro-negro utilizou o poder da camisa, para realizar o último ato de magia. Sendo assim, Ronaldinho golpeou pela terceira vez, o Flamengo venceu, e, daqui a cinquenta anos, beltrano vai falar para fulano que estava lá.

– Fazia tempo que não via uma partida tão boa. Já estava cansado daquela mediocridade das últimas rodadas e da falecida Copa América.

Essa partida poderia durar para sempre, assim, o amante do bom futebol jamais voltaria para o quintal da espanhola. Utopia! Doce e sonora, utopia!

Imagem: Terra.com.br

0 comentários:

Postar um comentário