quinta-feira, 7 de abril de 2011

Flu cai no estádio Centenário


Ontem, o Nacional-URU venceu o Fluminense por 2 a 0, no estádio Centenário, Montevidéu(Uruguai), em partida válida pelo grupo 3, da Taça Libertadores da América.

O jogo

O confronto no lendário estádio Centenário trouxe duas equipes ameaçadas, de não passar a próxima fase do torneio Continental.


Aos 3 minutos,
Diguinho largou o cotovelo no rosto de Garcia, que logo levantou, porque a tensão não lhe permitia ficar caído.

Fred lançou Souza, que ficou cara a cara com
Muñoz, aos 5 minutos, mas o goleiro uruguaio levou a melhor.

Aos 10 minutos, o arqueiro não deixou Emerson” Sheik” mandar, saiu do gol e deu um bico
pro mato.

Souza arrisca de longe, aos 24 minutos, tenta de novo, porque o gol ficou pequeno.


O Nacional jogando no 4-3-2-1 foi dominado, mas o Fluminense atuando no 4-2-3-1 não criava outras oportunidades.


Aos 37 minutos, após cobrança de falta, Coates sobe mais que o
Gum, contudo o santo está forte, e a redondinha sai fora.

Cabrera bate córner, aos 46 minutos, à bola faz curva
pra dentro e pra fora, Ricardo Berna voa, não acha, sorte que ela foi ao nada.

Uma nova abordagem


O
Nacional-URU voltou ligado, aos 50 minutos, Cabrera cruzou pra Garcia, que testou, ela morreu nas redes, descaindo mansinha sob o goleiro. O jogador uruguaio estava impedido, mas o juiz deixou passar batido.

Aos 52 minutos, tabelinha rápida,
Viudez bate cruzado, Berna acaricia e afaga.

Lançamento rápido na esquerda, Carlão chega no fundo, encontra Cabrera, que aos 55 minutos, isolou!


Aos 67 minutos,
Gallardo dá passe primoroso, Garcia domina, dispara, ganha de Gum, coloca no canto esquerdo da baliza e esbanja alegria. Gol!

Garcia ainda teve mais uma
chance, aos 69 minutos, quando tabelou com Gallardo, arrancou, encobriu o goleiro do Flu, mas o Gum salvou.

Jogador de segundo tempo


Gallardo
entrou para jogar nas costas dos volantes do Fluminense. Foi brilhante em sua participação, acabou expulso aos 87 minutos, mas esse fato não comprometeu.

Tática e malandragem

Após marcar por duas vezes, o
Nacional-URU passou a entregar a bola ao tricolor carioca, para jogar nos contra-ataques.

Mesmo com maior posse de bola, o Flu não ameaçava o goleiro
Muñoz.

O tempo passava, caldeirão mexia, feitiço preparado, catimba! E foi assim até o fim.


Declaração

Após o término do jogo Emerson falou “Com todo respeito, eles não tem time para ganhar da gente”.


Realmente, o time do Nacional é inferior, em relação ao Fluminense, mas venceu com méritos, porque incorporou o espírito de Libertadores, teve gana de vencer e fome de gol.

0 comentários:

Postar um comentário